27 julho 2005

estrada irreal


photo by matthew vinci



era quase noite. era ainda dia. vinha a escuridão da estrada vazia.

a menina andava com passos pequenos quase que corria.

- anda Lena, vamos que se acaba o dia.

- ainda falta muito?

ninguém respondia.

ao lado da mãe, não seria medo bem o que sentia, era já cansaço.

- mãe, leve-me ao colo!

a mãe não podia que levava as compras que sempre fazia na vila de sintra perto onde vivia.

mas o perto é longe quando se é pequeno e as pernas tão magras e os braços também. bem que ela os batia como asas ao vento procurando impulsos que a livrassem rápido daquela agonia.

era quase noite. era ainda dia.

só temia o longe do negro que via na estrada vazia.

- mãe, leve-me ao colo!

- não vês que não posso?

ela bem que via. no primeiro troço ainda a levara à ilharga, a mãe, mas era o carrego mais do que devia.

- tenta andar, filha.

porque iam a pé? camioneta havia, mas fora de tempo, já fora do dia. perdida que fora a dentro da hora, não podiam já esperar pela outra que atrás viria. era muito à noite quase ao novo dia...

- se o teu pai tem vindo...

o pai não viria. trabalhava tanto por tudo o que queria, que era dar às filhas o melhor que havia.

olhava o caminho, tão longo parecia. estrada infinita negrinha negrinha. o alcatrão quente quase derretia que o verão era forte. pesavam-lhe os pés o corpo doía.

súbito parou.

- não posso mais, mãe!

o rio de lágrimas molhava-lhe o peito da cara escorria.

- dói-me os calcanhares dos braços, não posso!

o ranho caía.

- não abanes tanto as mãos, não sabes andar?

era dura a voz era dura a mãe era a vida dura e ela não sabia.

só sabia o negro da infinita estrada. irreal ao vê-la.

- não posso mais, mãe...

e a mãe carregou mais aquele fardo. pequeno talvez mas era já mais do que a mãe podia.

era quase noite. era ainda dia.

ela adormeceu e de mais não lembra . como o lembraria se chegada a casa ainda dormia?

10 passos

Blogger paperl life andou...

eu volto a este post...

:)

quarta jul 27, 04:13:00 da tarde  
Anonymous batista filho andou...

E nós também.

quarta jul 27, 11:56:00 da tarde  
Blogger paper life andou...

:) Abraço

quinta jul 28, 12:29:00 da manhã  
Blogger wind andou...

Mais uma bela "estória" que tanto gosto:) beijos

quinta jul 28, 02:40:00 da tarde  
Blogger adesenhar andou...

pois é :)

revejo-me na "estória"...
estrada irreal quando o cansaço aperta
e real quando chegamos ao fim :)

:)

sexta jul 29, 12:30:00 da manhã  
Blogger batista filho andou...

Talvez, d'outra feita, tenha corrido por essa estrada, tempo outro, com essa menina... e se tal for, como pode ter sido, brincamos tanto... e outro tanto brigamos, pra logo logo reconciliarmo-nos - e voltar a correr, voltar a brincar. Quem saberá, com certeza?! eu é que não: não afirmo, nem desdigo... mas cá dentro, uma vozinha sussurra - "bem que podia ter sido".

sexta jul 29, 11:10:00 da manhã  
Blogger paperl life andou...

Você: ternurento ser!

:)

sexta jul 29, 11:11:00 da manhã  
Blogger Laurindinha andou...

Excelente!!! O ritmo, o fluir das palavras... perfeitos!

sábado jul 30, 12:13:00 da manhã  
Blogger paperl life andou...

Obrigada Laurindinha.

Podes encontrar-me no "escarpado" ou mais vezes no "Rain maker" os links estão lá acima neste blog

Prazer em rever-te. :)

Bjs

segunda ago 01, 08:56:00 da manhã  
Blogger sm andou...

Gostei muito, muito.

quarta ago 03, 10:24:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home