11 maio 2005

regresso ao pó

as mãos sempre na terra se podia. era toda a paz que precisava. porquê? dizer não saberia.

nesse experimentar quase ninguém a acompanhava.

- deixa a terra que te sujas toda! nem os rapazes são piores, meu deus! acaba a gente de a lavar e é isto...

ela tentava não ouvir. ia para mais longe onde só sobrava um eco vago dos avisos da mãe. às vezes nem o eco. o silêncio. que bom quando era assim!

um bairro pobre mas novo. casas em construção ainda. sobraram muitas pedras de uma obra. trepou-as, claro, mas viu que algumas esfarelavam ao peso pouco dos seus pés.

sentou-se. estava muito calor. não usava chapéu e tinha a cor no rosto dos ciganos de ar livre.

numa pedra grande viu o que lhe parecia um caracol diferente. ali preso para sempre. decidiu, num acto de posse, libertá-lo.

pegou da calçada uma pedra bicuda e iniciou um trabalho moroso.

tanto bateu, cuidadosa para não partir o precioso achado que nem se apercebeu que a miudagem da rua a rodeava já.

- que é que estás a fazer?

como ela detestava perguntas imbecis!

- estou a pulir isto?

- e pode-se?

- claro. o meu pai é pulidor, não é?

- e depois?

- depois é só passar-lhe cera que ela à noite dá luz.

- juras?

- quem mais jura mais mente. experimenta se quiseres...

conseguiu retirar o fóssil sem partir. as outras desistiram cedo.



in



já mudou de casa até perder o conto e o caracol permanece na estante ao pé dos livros.

- um dia hei-de levar-te comigo, de volta ao pó da terra mãe.

9 passos

Blogger wind andou...

Que ternura:) beijos

quarta mai 11, 12:36:00 da tarde  
Blogger alguem andou...

O acaso dos caminhos. Passando por outro blog desemboquei neste. Gostei da apresentação, dos textos e imagens. Vou aprofundar a visita e voltar a visitá-lo.Até breve.
http://beja.blogs.sapo.pt

quarta mai 11, 12:56:00 da tarde  
Blogger batista filho andou...

Quem não se importa, quem desesperançou - jamais escreverá com tanto sentimento! Quanto ao "Regresso ao pó", a gente sempre torna. Acreditar ou não nisso, não muda o que é. Muda o que somos, ou julgamos ser. # Parabéns pelo texto: literatura da melhor qualidade, podes crer. # Um abraço fraterno.

quarta mai 11, 12:58:00 da tarde  
Blogger paperl life andou...

Simpática gente! :)

Baptista Filho, não consigo entrar na tua ilha. Tens endereço? queres dar?

Abraço e muito obrigada.

:)

quarta mai 11, 01:06:00 da tarde  
Blogger batista filho andou...

Para "Pés descalços:

Por falta de conhecimento, não tenho blog. Minha filha, Luiza, prontificou-se a me auxiliar nessa tarefa. Mais dia, menos dia... # Tenho alguns poemas no "Jornal de Poesia" http://www.secrel.com.br/jpoesia/JBOliveiraFilho.html
Um abraço fraterno.

quarta mai 11, 02:04:00 da tarde  
Blogger paperl life andou...

Batista Filho, obrigada.

Fico a aguardar o Jornal de Poesia. Se passares por cá avisa Ok?

Abraço.

quarta mai 11, 02:15:00 da tarde  
Blogger Madalena Pestana andou...

BF, deixei para si um poema Seu no http://planando.blogspot.com. Desculpe é só até ter o seu blog.

Obrigada. Abraço fraterno.
Madalena

quarta mai 11, 04:17:00 da tarde  
Blogger batista filho andou...

Adorei o presente, Madalena!
... mas agora é que estou encrencado: minha filha também viu, gostou e não vai largar do meu pé, enquanto o danado do blog não sair!
Obrigado, do fundo da minh'alma.
Um abraço fraterno

quinta mai 12, 02:23:00 da manhã  
Blogger paperl life andou...

BF. Não vai ser só sua filha a não largar do seu pé, ela tem todo o meu apoio. Um beijinho para ela.

Espero o endereço do seu blog. :)

Abraço.

quinta mai 12, 09:01:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home