12 junho 2005

na casa branca vivia


naquela casinha branca tão caiada de pudor, de honestidade e revolta salpicados com amor, vivia um homem que fora de grande terra feitor.

sentado passava as horas num silêncio aterrador. fora na guerra soldado dos bravos dos com valor. respeitado em toda a terra onde vivia e vivera, onde dera onze filhos ao mundo para o alegrar e de sol a sol lutara na lavoura a trabalhar.

mas um dia uma falha da enxada o atingiu certeirinha e o cegou. manda o patrão que o tratem . precisava do feitor. mas a cura era difícil mandou dizer o doutor. e o homem ficou cego. perdendo assim o valor.

a reforma de tostões lhe garantiu o patrão. "fosse agora minha filha e ter-me-iam operado mas nessa altura só ia ao hospital de lisboa quem já estava condenado". o olho morto chorou. o outro guardou secura que homem como ele não chora ou alguma vez chorou.

naquela casinha branca na então vila de moura um homem triste, sentado, recordava os tempos idos na labuta da lavoura. pisando a terra vermelha cheirando a trigo azeitona que feliz o homem fora!

13 passos

Blogger nikonman andou...

Magnífico!

domingo jun 12, 02:29:00 da tarde  
Anonymous Caiê andou...

Adorei este blogue, que não conhecia!
Tem graça, no seu perfil, a sua lista de interesses é exactamente igual à minha... :)

domingo jun 12, 02:43:00 da tarde  
Blogger paperl life andou...

Olá.

Obrigada aos dois.

:)

domingo jun 12, 02:59:00 da tarde  
Blogger Carlos Barros andou...

naquela casa linda onde fico o grande amor.

domingo jun 12, 03:52:00 da tarde  
Blogger wind andou...

É antigamente era assim e está excelente esta história:) beijos

domingo jun 12, 05:08:00 da tarde  
Blogger Pedro Farinha andou...

Muito bonito este texto

domingo jun 12, 05:15:00 da tarde  
Blogger paperl life andou...

passou-se com o meu avô.

:)

domingo jun 12, 07:26:00 da tarde  
Blogger José Alexandre Ramos andou...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

domingo jun 12, 09:20:00 da tarde  
Anonymous Lumife andou...

Li lamechas !? Desconhece por certo
a vida dura do alentejano desses tempos e a cruel realidade do tratamento que lhe era dado. Para a Autora os meus parabéns.

domingo jun 12, 11:40:00 da tarde  
Blogger paperl life andou...

críticas opostas. assim, sim.
:)

segunda jun 13, 12:01:00 da manhã  
Blogger José Alexandre Ramos andou...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

segunda jun 13, 05:01:00 da tarde  
Blogger paperl life andou...

Entendi, sim. e tens razão.

:)

Beijos.

segunda jun 13, 05:19:00 da tarde  
Blogger paperl life andou...

Peço desculpa em nome do autor dos dois postes apagados que tira assim o sentido ao diálogo´.
Vá-se lá entender os artistas! Não é, José Alexandre Ramos?!

12:25 PM

sexta jun 17, 04:32:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home